BLOG CARLOS RIBEIRO

BLOG CARLOS RIBEIRO

sexta-feira, 8 de junho de 2012

É Hoje!!! Bairro Vila Nova recebe II Festival da Sardinha em Cabo Frio


Durante os dias 8, 9 e 10 de junho, o bairro Vila Nova receberá o II Festival da Sardinha, cuja estrutura estará montada nas ruas Nicanor Pereira Couto e Coronel Mário Quintanilha. Na sexta-feira, o evento terá início às 18h e no sábado e no domingo, às 13h, com programação musical diversificada, sorteio de brindes e área para recreação infantil. Os deliciosos e variados pratos serão elaborados com muita criatividade à base desse peixe tão saboroso e que proporciona tantos benefícios.
Pequenas, saborosas e populares, as sardinhas abrigam o famoso ômega-3 que ajuda na prevenção de diversos males. Especialistas afirmam que ela contém também ácido graxo em quantidades que não deixam nada a desejar a parentes estrangeiros, como o salmão, que levam a fama de ser uma das melhores fontes da substância.
A sardinha também é fonte de proteínas de excelente qualidade, ideal para manter os músculos em dia, e de fósforo, um mineral que participa da mineralização dos ossos. O ideal é incluir este alimento no cardápio duas ou três vezes por semana.
Pesquisas informam ainda que a sardinha já foi considerada um peixe de segunda, porém ela voltou a ser valorizada quando a ciência descobriu a importância do ômega-3, um superalimento fundamental para o bom funcionamento do coração, do cérebro e do sistema imunológico. A substância é um tipo de gordura que tem se mostrado eficiente na redução de várias enfermidades, como hipertensão, doença cardiovascular, arteriosclerose, desordens inflamatórias, doenças auto-imunes, além de favorecer a diminuição do chamado “colesterol ruim” e o aumento do “colesterol bom”. Alguns estudos recentes mostram que o consumo de ômega-3 pode ainda proteger contra o câncer.
A sardinha é classificada como alimento funcional. É rica em proteínas de alto valor biológico, aproveitada quase integralmente pelo nosso organismo. É riquíssima, ainda, em fosfato, nas vitaminas A, B1 e B2.

Fonte: Eliane Ribeiro

0 comentários:

Postar um comentário