BLOG CARLOS RIBEIRO

BLOG CARLOS RIBEIRO

terça-feira, 17 de julho de 2012

Blog Falando de esporte...




Última semana da "janela" de contratações e onde está o "todo-poderoso" vice de finanças do Flamengo, Michel Levy? Esquiando na Argentina, em companhia do filho...


O tetracampeão da Stock-Car, Cacá Bueno, abriu o verbo, no domingo, quando da última corrida no Autódromo Nelson Piquet, e está coberto de razão. É um crime o que foi feito com o belo circuito do Rio, inicialmente mutilado, para o Pan, e agora exterminado, por conta das Olimpíadas.

Não havia outro grande terreno na cidade capaz de abrigar instalações
olímpicas? Pior, as que lá foram plantadas em 2007 (a Arena Poliesportiva, o Parque Aquático Maria Lenk e o Velódromo) nem sequer serão utilizadas em 2016! Querem demolir até o que foi criado para o ciclismo e construir de novo! Um escárnio. Tudo com o dinheiro público.

Tudo para criar mais uma manada de elefantes brancos que custará muitos milhões e, como se comprovou agora, nos escândalos da Fifa, poderá até viabilizar generosas e indecorosas propinas. Uma vergonha!


A atual diretoria rubro-negra se vangloria de ter dobrado o número de sócios do clube, mas o que se comenta na Gávea é que o crescimento do quadro social é turbinado por uma insólita situação. Uma empresa situada próxima à sede rubro-negra, com a conivência da presidenta, teria instruido seus funcionários a comprar títulos do Fla, pois a mensalidade de sócio- contribuinte é mais barata do que cobram, por 30 dias, os estacionamentos das redondezas. Assim, além das vagas, os novos associados ganham o direito a frequentar a sede social e, de quebra, após dois anos, até a votar nas eleições. Além do "Fla- Parquinho", Patrícia Amorim tem, agora, mais um curralzinho eleitoral: o Fla-parquímetro... E ainda há uma história esquisita de providencial anistia a sócios que perderam o direito de voto, por inadimplência...


Por falar em jovens talentos, não é que Joel escalou Adryan na ponta-esquerda? O guri é meia armador! Assim como Ibson é segundo volante, "Mister Santana"! Pode "to be"?


Muita gente me pergunta o que estou achando de Ronaldinho Gaúcho no Atlético Mineiro. Pelo que vi até agora, está jogando mais ou menos o mesmo que fazia no Flamengo. Um passe bom aqui, outro acolá, um golzinho de pênalti e só. Há, entretanto, duas diferenças importantes. No Galo, com Cuca, o Dentuço voltou a ser armador — coisa que nem Vanderlei nem Joel souberam fazer no Fla. Ambos o empurraram para o ataque, pela esquerda. Além disso, o time mineiro me parece muito mais bem armado do que estava o carioca, quando ele jogava por aqui. E ainda tem um garoto incrivelmente talentoso: Bernard


O Fluminense ganhou o Estadual e foi eliminado da Libertadores, no último minuto de seu jogo com o Boca Juniors (que acabou vice-campeão). No Brasileirão, tem estado sempre entre os primeiros, segue invicto e é no consenso geral um dos fortes candidatos ao título. Apesar disso, impressiona como se ouve críticas da torcida tricolor ao trabalho do técnico Abel. Por que será? Talvez porque, embora tenha jogadores talentosos e de características ofensivas, como Deco, Fred, Thiago Neves, Wellington Nem etc, a equipe das Laranjeiras raramente dá espetáculo. E muitas vezes chega a jogar como time pequeno, todo recuado, tentando o gol apenas em contra- ataques, como no último Fla-Flu. Que os resultados práticos de Abel, até agora, são bons, não há como negar. Mas que ele ainda não conquistou o coração do torcedor também. No balanço final desta complicada conta restou o comentário bem-humorado do amigo Sardinha, tricolor roxo e crítico ao técnico:

— Teve um jogo em que a turma da arquibancada estava tão enfurecida que começou a se discutir uma campanha "Fora Abel". Já se falava até em fazer faixas para a rodada seguinte quando alguém de bom senso argumentou: "Vamos tirá-lo para entrar quem? Renato Gaúcho, o queridinho do Celso Barros?" Rapidamente, o movimento perdeu força. Ruim com o Abelão, pior sem ele...

INSATISFAÇÃO GERAL. As queixas dos torcedores do Rio com os seus treinadores não é exclusividade do Fluminense. Em São Januário, Cristóvão já se acostumou a ser chamado de "burro", até nas vitórias e Joel Santana, no Flamengo, tem sido um dos principais alvos da ira da torcida (o outro é a presidenta Patrícia Amorim). Oswaldo de Oliveira, por sua vez, anda sob observação no Botafogo. Ora é elogiado, ora criticado. O que não deixa de ser coerente com a instabilidade que sua equipe andou demonstrando nas primeiras rodadas. Desde a chegada de Seedorf, porém, o time parece estar se aprumando. E com ele o prestígio do treinador. Fato é que nenhum time do Rio encanta. Aliás,
nenhum time do Brasil, no momento

Fonte: Blog Renato Maurício Prado

0 comentários:

Postar um comentário