BLOG CARLOS RIBEIRO

BLOG CARLOS RIBEIRO

sábado, 14 de julho de 2012

Rodada de negócios da Fenearte movimenta 19% a mais que 2011



Fenearte segue até domingo, mas a Rodada de Negócios, promovida pelo Sebrae (Pernambuco) encerrou ontem suas atividades com um volume de negócios estimado em R$ 4,6 milhões (durante os três dias de rodada e durante os próximos 12 meses). O valor supera em 19,4% o resultado obtido na edição passada da feira.
A rodada de negócios promoveu um total de 571 encontros entre os artesãos e empresas compradoras de todo o País. A instituição projetava para este ano apenas 360 encontros. Para esta edição, o Sebrae conseguiu atrair 23 empresas âncoras vindas de São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Natal, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Salvador, além de empresários da cidade do Recife.
Movimento – A feira segue com um movimento bem elevado. Só nos três primeiros dias do evento a organização registrou presença de 94 mil visitantes no Centro de Convenções. Até mesmo durante a semana o estacionamento do local chegou a ser fechado por ter a lotação máxima atingida. Comemoração dos artesãos e, em especial, dos mestres que afirmam estar com uma comercialização superior aos anos anteriores. “Já nos primeiros dias consegui vender a maioria das peças”, disse o mestre Pintor, de Petrolina. Pela movimentação da primeira metade da feira, quem deixar para a última hora já encontrará alguns estandes vazios.

Últimos dias para aproveitar as novidades da XIII Fenearte





Maior feira de negócios do artesanato da América Latina, a Fenearte chega ao fim neste domingo (15). A expectativa dos organizadores é que o evento receba, nos 10 dias que esteve montado no Centro de Convenções, mais de 295 mil pessoas.
A 13ª edição da Fenearte conta com a presença de 5 mil expositores, entre artesãos de todos os municípios de Pernambuco e estados brasileiros e, ainda, de 40 países, com estreia da Áustria, Camboja, Catar, Congo, Líbia e Turcomenistão.
Quem pretende ir para a feira de carro, precisa ficar atento às mudanças no trânsito. É que agora os carros passam a entrar pela Avenida Agamenon Magalhães.Ainda há a opção de deixar o veículo no estacionamento so Shopping Tacaruna e utilizar o serviço gratuito de van direto para a feira.
No ano passado, a Fenearte movimentou cerca de R$ 36 milhões através das vendas e das rodadas de negócios. Este ano, o valor deverá atingir cerca de R$ 40 milhões, segundo o coordenador, Roberto Lessa. Já o valor do investimento para a realização da feira é de aproximadamente R$ 4 milhões.
O preço dos ingressos é o mesmo do ano passado: R$ 6 e R$ 3 (meia), sexta-feira, e R$ 8 e R$ 4 (meia), no fim de semana.
SHOWS - Assim como outros eventos culturais do Estado, a feira presta homenagens a Luiz Gonzaga pelo seu centenário de nascimento. Além de exposição e decoração especial, os artistas que irão se apresentar na praça de shows da Fenearte prometem interpretar canções do Rei do Baião, entre eles Josildo Sá e Novinho da Paraíba.

Gonzagão, sucesso na Fenearte. Papel e outras peças recicladas.




Galeria reúne 50 peças de arte, artesanato e design com lixo reaproveitado. Público pode votar no melhor trabalho, que vai ganhar prêmio de R$ 2 mil.
Muitos visitantes da Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte) dispensam bons minutos conferindo as peças da Galeria de Reciclados, que fica no mezanino do Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, onde o evento ocorre até 15 de julho. A criatividade para transformar o que iria para o lixo é o que mais impressiona o público, que pode votar no trabalho que mais gostou.

São 50 peças ao todo, divididas nas categorias arte, artesanato e design. A estudante Natália Rodrigues ficou impressionada com a peça "Urbanóides", do artista Felipe Soares. "Ele mostra que dá para fazer várias coisas que a gente nem imaginava. O que mais chama atenção são os materias usados [fios de computador e mouse], porque eles não são muito reaproveitados", disse.
Natália e o 'Urbanóides'


Já a dona de casa Graziele de Oliveira foi conquistada pelo boneco de Luiz Gonzaga feito pelo artista plástico Emerson Chagas com papel de jornal. "Eu gostei porque dá para ver que o artista usou jornal mesmo, deixou o material à mostra, ao natural. Achei isso muito criativo", falou.
Xote ecológico
Este ano, o espaço propõe uma reflexão sobre as questões relativas à caatinga, ao uso racional dos recursos naturais, principalmente a água, e à busca por alternativas sustentáveis de convivência com a seca. A ambientação tem como mote a música "Xote Ecológico", de Luiz Gonzaga, que retrata o Sertão.

Entre as peças pré-selecionadas, uma comissão julgadora definiu os melhores trabalhos divididos em três categorias: arte reciclada, artesanato reciclado e design reciclado. Os primeiros lugares de cada categoria receberão R$ 5 mil. O público pode votar no melhor trabalho, que vai ganhar R$ 2 mil por meio do Prêmio Aclamação.
João observa peça curiosa


O estudante Paulo Feliciano da Silva votou em uma peça bem diferente, de João Cassiano. "Eu acho que é um anjo, feito com fios de cobre, que segura uma lâmpada representando o ventre da mulher, já que dentro dela tem um bebê. Gostei muito desse detalhe. Se colocar a lâmpada na tomada, é como se ele nascesse", comentou.
Sucata para quem precisa
"As peças são feitas com PET, papel, sucata, tudo que é tido como sem utilidade para as pessoas. Os artistas ficam procurando tudo para reciclar. Esse espaço já existe há oito anos, e é bom que deixa o público interessado e estimula os artistas", comentou a coordenadora da Galeria de Reciclados, Vaneide Laranjeiras.
Artista plástico Luiz Carlos Mello criou o 'Jipeiro'
com peças de sucata
O artista plástico Luiz Carlos Mello é Brejo da Madre de Deus, no Agreste pernambucano, e está com dois trabalhos expostos na galeria. Um deles é o "Jipeiro", feito com sucata. "Eu me lembrei de quando era criança e meu pai pegava o jipe azul dele para nos levar ao sítio, e voltávamos com um monte de bananas", explicou Luiz, feliz em participar na feira.

Ações verdes

Como ocorre desde 2007, a Fenearte informou que implantou o conceito do Lixo Zero, onde 100% de todo o material reciclável produzido pela feira está sendo coletado, separado e doado à Cooperativa de Catadores Profissionais de Recife (Pró-Recife).
A cooperativa fica responsável pela destinação adequada dos materiais, comercializando-os para indústrias recicladoras. O evento ainda afirmou que todo óleo de cozinha utilizado na Praça de Alimentação terá destinação correta.

Durante a feira, o programa Chapéu de Palha distribui, gratuitamente, mais de 20 mil mudas de espécies da Mata Atlântica aos visitantes. A Fenearte também disponibiliza cadeiras de roda e mapas do evento em braille para deficientes visuais.
Serviço

13ª Fenearte

Centro de Convenções de Pernambuco - Av. Agamenon Magalhães, s/n, Complexo de Salgadinho, Olinda

Até 15 de julho, das 14h às 22h

Nos dias 8, 13, 14 e 15, de 10h às 22h

Ingressos: de segunda a sexta: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia-entrada)

Sábados e domingos: R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia-entrada)

À venda no Shopping Tacaruna e nas bilheterias do Centro de Convenções
Serviço de vans gratuitas no Shopping Tacaruna até o Centro de Convenções: das 14h às 22h.

0 comentários:

Postar um comentário