BLOG CARLOS RIBEIRO

BLOG CARLOS RIBEIRO

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

 
Fenômeno de audiência nos EUA, minissérie ‘A Bíblia’ chega ao Brasil

O ator português Diogo Morgado interpreta Jesus na minissérie Divulgação


RIO - Popularmente tratada como o livro mais lido do planeta, a Bíblia se transformou, em 2013, também em um dos programas de TV mais assistidos do mundo: exibida nos EUA em março, a minissérie “The Bible” angariou nada menos do que 160 milhões de espectadores ao redor da Terra. Os brasileiros poderão conferir o fenômeno a partir desta quarta, às 21h30, quando a Record começa a exibir semanalmente os episódios de “A Bíblia”.
 
Mas se as histórias sagradas da cultura cristã já foram contadas e recontadas, nos mais diversos meios, ao longo dos últimos 2 mil anos, o que teria a minissérie de 10 episódios de tão especial para cativar o espectador?
 
A Record, por meio de nota enviada por sua Central de Comunicação, explica que o diferencial da produção é “trazer as histórias da Bíblia em uma narração surpreendente com muita emoção, ação e efeitos especiais”.
 
Nos EUA, onde foi exibida originalmente pelo History, deu certo: no primeiro episódio, foram 13,1 milhões de pessoas conectadas para assistir.
 
A atração foi pilotada pelo casal Mark Burnett e Roma Downey. Ele, produtor experiente em reality shows, com passagens por “Survivor” e “The voice”; ela, atriz que ficou famosa como a protagonista da melosa “O toque de um anjo”, sucesso na década de 1990. Juntos, eles procuraram dar um tom contemporâneo à história de Jesus — vivido aqui pelo ator português Diogo Morgado —, com direito a anjo que luta artes marciais e efeitos especiais de tirar o fôlego quando Moisés divide o Mar Vermelho, Jesus anda sobre as águas ou Daniel cai na cova dos leões.
 
“Uma coisa que tínhamos certeza é de que não queríamos fazer um filme estilo burrinho e sandálias para agradar às avós”, disse Downey ao “The New York Times”.
 
Orçada em US$ 22 milhões, a produção não poupa os espectadores de lutas sangrentas, decapitações e chicotadas. Mas, segundo seus criadores, o grande trunfo da minissérie é contar “a grande história de amor que é a Bíblia”. Ainda de acordo com eles, foi difícil escolher que sequências sobreviveriam aos cortes da pré-produção e da edição. Nos episódios, vemos Noé e sua arca, Adão e Eva e a vida de Jesus, entre outros trechos. Para Downey, o que todos têm em comum é “a repetição dos erros humanos e as tentativas de se reconectar com Deus”.

Fonte: Jornal O Globo/Cultura

0 comentários:

Postar um comentário