BLOG CARLOS RIBEIRO

BLOG CARLOS RIBEIRO

terça-feira, 13 de maio de 2014

13 DE MAIO: ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA!!!




Através da LEI ÁUREA, DE 13 DE MAIO DE 1888, que a liberdade dos negros foi finalmente alcançada no Brasil. Essa Lei, assinada pela PRINCESA ISABEL, abolia de vez a escravidão no Brasil!

E a PRINCESA ISABEL , como Regente do Império Brasileiro, foi a heroína dessa importante decisão governamental



SOCIEDADE ORGANIZADA FAZ AS MUDANÇAS !



CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA



Se foi a Princesa Isabel quem assinou a Lei Áurea, a sociedade organizada foi a garantia dessa mudança que transformaria radicalmente o futuro do país, inclusive com a queda da MONARQUIA pouco tempo depois. Os grandes fazendeiros e senhores feudais se mobilizaram contra a Monarquia responsabilizada pelos prejuízos causados com o fim da odiosa escravidão.




Temos procurado dar a importância da SOCIEDADE ORGANIZADA nas grandes mudanças do país. É preciso que sejamos sinceros  e objetivos: se a VANGUARDA da sociedade, se o NÚCLEO PENSANTE da INTELIGENTZIA BRASILEIRA se posiciona e mobiliza a população é IMPOSSÍVEL que não se consiga a MUDANÇA DESEJADA. A alienação social é que permite a existência de grandes injustiças políticas.




Somente a SOCIEDADE ORGANIZADA consegue ser o vetor das mudanças sociais. E o seu NÚCLEO PENSANTE, a sua VANGUARDA é a sua ELITE! Sim, a sua ELITE! E é preciso buscar o ENSINAMENTO PERENE do sociólogo FERNANDO HENRIQUE CARDOSO de que ELITE é a vanguarda da sociedade, é o que há de melhor na sociedade, por exemplo, o melhor jogador de futebol foi o Pelé, o melhor líder sindical foi o Lula, o melhor jogador de basquete foi o Oscar Schmidt, o melhor empresário foi o Antonio Ermírio, o melhor e maior empreendedor foi o Conde Francesco Matarazzo, o melhor médico foi o Adib Jatene, o grande jurista foi Rui Barbosa, etc.



E que fique claro o óbvio: os “núcleos pensantes” da sociedade, a “vanguarda da intelligentzia brasileira” são os seus centros universitários, a imprensa, os jornalistas com colunas ou blogs, os sociólogos, as lojas maçônicas, os clubes de serviço (Rotary, Lions), a CNBB, a OAB, a ABI, as academias de letras de todo o país, os órgãos representativos dos profissionais liberais e tantas outras entidades representativas e com destaque junto às comunidades às quais representam.



O MOVIMENTO ABOLICIONISTA BRASILEIRO



E foi assim o movimento abolicionista no Brasil. Alguns estados estavam à frente das iniciativas abolicionistas, os jornais, as faculdades, a classe média da época, num crescente conseguiram mobilizar a SOCIEDADE BRASILEIRA de tal forma e com tamanha intensidade que o país estava preparado para exigir a ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA.




Em 1888, destaca Laurentino Gomes em seu livro “1889”, “...a aristrocrática e imperial Petrópolis foi declarada livre da escravidão. Liderada pela princesa Isabel, uma comissão de moradores arrecadara os fundos necessários para comprar a liberdade de 102 dos 127 cativos existentes na cidade. Curiosamente, na cerimônia de entrega das cartas de alforria, apareceram mais cinquenta escravos fugitivos, pedindo para serem incluídos entre os beneficiados pela ação. Ali mesmo foi providenciada uma nova arrecadação de fundos para libertá-los.”

E afirmava com segurança: “O recado era claro: a tarefa de eliminar a escravidão passava das ruas para o trono do Brasil.”

O “cenário” era explícito: “No começo de 1888, a maré abolicionista atingira tal ímpeto que incluía ninguém menos  que os filhos da princesa Isabel, netos de dom Pedro II. Amigo da família imperial, o engenheiro André Rebouças conta em seu diário que nessa época catorze escravos africanos foragidos de fazendas vizinhas a Petrópolis foram convidados a almoçar com os príncipes – supostamente de forma clandestina – no palácio imperial. Com o apoio da mãe, os príncipes também inauguraram um jornalzinho abolicionista chamado CORREIO IMPERIAL, dirigido pelo filho mais velho deles, dom Pedro Alcântara de Orleans e Bragança. Na edição de 21 de fevereiro, referindo-se `emancipação de escravos, iniciada em Petrópolis o jornal anunciava:



Para coroar esta bela obra, falta somente que os senhores de escravos, inspirando-se em sentimentos generosos, facilitem por seu lado a emancipação, diminuindo, ao menos, o valor dos libertados desta cidade.”



RESUMINDO: a sociedade brasileira da época, de forma intensa e organizada, VIABILIZOU a ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA, contando não só com a simpatia MAS TAMBÈM com a MILITÂNCIA dos membros da Casa Imperial.



OS GRANDES ABOLICIONISTAS DO BRASIL!



Impossível citar a todos sem esquecer de alguns. Mas a conscientização da sociedade brasileira – já que o Brasil foi um dos últimos países a abolir a escravidão – foi num crescendo. Lideranças surgiram em vários estados, nos jornais, nas lojas maçônicas, nos partidos políticos. Ficou famosa a participação de Ruy Barbosa, ainda estudante de Direito do Largo de São Francisco, na campanha abolicionista na LOJA AMÉRICA, em 1870, quando se destacou no debates, fazendo com que seu ponto de vista a favor de que todos os membros daquela Loja Maçônica libertassem o ventre de suas escravas, prevalecesse.












Da mesma forma as ações cívicas de Luiz Gama, de Joaquim Nabuco e de José do Patrocínio. E por todo o Brasil, nos municípios, de norte a sul, a sociedade começava a se organizar vindo a viabilizar a libertação dos escravos!



JUSTIÇA À PRINCESA ISABEL E AOS BRASILEIROS!



Então, ao comemorarmos o Dia 13 de Maio como o Dia da Libertação dos Escravos, com a assinatura da LEI ÁUREA pela PRINCESA ISABEL, estaremos simplesmente, reconhecendo a importância de seu gesto que representou – COM CERTEZA! – a vontade da maioria do POVO BRASILEIRO!


VIVA A PRINCESA ISABEL!!!

0 comentários:

Postar um comentário