BLOG CARLOS RIBEIRO

BLOG CARLOS RIBEIRO

domingo, 31 de agosto de 2014

Programa de Governo de Marina está cheio de contradições!!!!


Marina Silva e o candidato a vice, deputado Beto Albuquerque, durante lançamento do programa de governo da candidata a presidente (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)


Marina Silva e o candidato a vice, deputado Beto Albuquerque, durante lançamento do programa de governo da candidata a presidente (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)
 
 
Opinião do Blog Carlos Ribeiro


1) Se diz ambientalista e faz chapa com defensor de transgênicos. Se questionada sobre isso, diz que vai querer compartilhar áreas com transgênicos e não transgênicos e mandar o pólen ficar quietinho e não se mexer.

2) No assunto do casame...
nto gay ela já mudou de opinião várias vezes.

3) Diz que não é tucana, mas sua equipe econômica é. Na verdade a dona do Itau até coordena a sua campanha e diz que vai fazer isso e aquilo, como se fosse ela a candidata.

4) Defendeu o Marcos Feliciano

5) Diz que vai trabalhar com todos os partidos. Quais? O do pastor Everaldo? O DEM?

6) Diz que Chico Mendes é elite. Se fosse elite não teria sido assassinado. Moraria em condomínio de luxo. Estaria jantando em restaurantes caros em Paris ou Nova Iorque. Marina, pergunte se a dona do Itau quer ser elite igual ao Chico Mendes e morar em uma casa de pobre em Xapuri.

O projeto político dela é a sua própria ascensão política. Por isso muda de partido a cada 4 anos, se não for escolhida candidata. Ela usa a retórica da "nova política", "ressignificar a experiência econômica", "processos identificatórios", projetos sonháticos, que ela representa o novo, blablabla. No final das contas, se comporta igualzinho a qualquer político, só que dizendo que ela é diferente. Como o Collor em 1989 ou o Jânio Quadros em 1960.

Sem apresentar um programa claro, ela está querendo que assinemos um cheque em branco para ser usado pela dona do Itau, os economistas neoliberais da equipe dela e os "operadores do mercado". Ou seja, como era no século passado.

 


 
 
Veja o Programa de Marina:
 
O PSB divulgou nesta sexta-feira (29), em São Paulo, o programa de governo da candidata partido à Presidência da República, a ex-senador Marina Silva. As propostas foram divididas em seis eixos principais, que contemplam temas como economia, educação, sustentabilidade, mobilidade urbana, políticas sociais e cidadania. Veja abaixo os principais pontos:

Educação e cultura


"Nosso governo vai priorizar a educação integral na Educação Básica, tornando-a uma política de Estado. Educação integral requer vontade política e desejo de ensinar, atendendo ao direito de crianças e adolescentes a uma escola digna, justa e significativa em suas vidas. É, portanto, um dever do Estado que deve ser traduzido em uma política pública consistente, factível e propulsora de parâmetros que garantam equidade e qualidade de ensino."
 
Formação dos professores

“Não à contínua precarização da formação docente e aos baixos salários. Não à falta de condições de trabalho. A valorização do professor como um projeto de futuro, uma utopia de país. Implementar um programa federal para que a União apoie financeiramente estados e municípios a fim de que aumentem o piso nacional dos professores em quatro anos.”
 
Combate à discriminação

“É preciso olhar com respeito às demandas de grupos minoritários e de grupos discriminados. A população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) encontra-se no rol dos que carecem de políticas públicas específicas. O direito de expressar sentimentos e vivenciar a sexualidade deve ser garantido a todos. As demandas da população LGBT já estão nas agendas internacionais. No Brasil, no entanto, precisamos superar o fundamentalismo incrustrado no Legislativo e nos diversos aparelhos estatais, que condenam o processo de reconhecimento dos direitos LGBT e interferem nele."


Casamento gay

"Apoiar propostas em defesa do casamento civil igualitário, com vistas à aprovação dos projetos de lei e da emenda constitucional em tramitação, que garantem o direito ao casamento igualitário na Constituição e no Código Civil."
 
[Observação: após a divulgação do texto, a coordenação da campanha de Marina Silva retirou do programa de governo a referência ao casamento gay. Saiba mais.]

"Eliminar obstáculos à adoção de crianças por casais homoafetivos."


Direitos da população LGBT

"É preciso olhar com respeito às demandas de grupos minoritários e de grupos discriminados. A população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) encontra-se no rol dos que carecem de políticas públicas específicas. O direito de expressar sentimentos e vivenciar a sexualidade deve ser garantido a todos. As demandas da população LGBT já estão nas agendas internacionais. No Brasil, no entanto, precisamos superar o fundamentalismo incrustrado no Legislativo e nos diversos aparelhos estatais, que condenam o processo de reconhecimento dos direitos LGBT e interferem nele."

"Incluir o combate ao bullying, à homofobia e ao preconceito no Plano Nacional de Educação, desenvolvendo material didático destinado a conscientizar sobre a diversidade de orientação sexual e às novas formas de família.”


Economia



"Ampliar o repasse de recursos da União para estados e municípios a partir de transferências de recursos fundo a fundo."

"Garantir o aumento imediato de 23,5% para 25,5% nos recursos transferidos aos municípios pelo FPM, propondo condicionalidades como investimento em transporte coletivo e custeio do passe livre."
"Propor um novo modelo constitucional de repartição de receitas tributárias a fim de garantir mais recursos e maior autonomia a estados e municípios."

"Ajustar legislação e arcabouço infralegal ao novo modelo federativo, favorecendo a colaboração federativa, a coordenação de políticas e a diminuição das sobreposições entre União, estados e municípios."

"Estimular a formação de consórcios públicos interfederativos e outras formas de associativismo territorial que sejam socioambientalmente sustentáveis."
 
Saúde
 

"Implementar gradualmente, ao longo de quatro anos, a proposta do projeto de lei de iniciativa popular de vincular 10% da Receita Corrente Bruta da União ao financiamento das ações de saúde."

"Consolidar no Sistema Único de Saúde (SUS) os serviços de interrupção da gravidez conforme a legislação em vigor."
"Rejeitar qualquer Desvinculação de Receitas da União para assegurar a manutenção das fontes orçamentárias da Seguridade Social."


Fator previdenciário

"A coligação Unidos pelo Brasil propõe a busca de alternativa ao fator previdenciário que concilie os princípios de justiça – beneficiando quem mais cedo começou a trabalhar, computando tempo suficiente para o custeio do seu benefício, e evitando, ao mesmo tempo, a imprevisibilidade derivada do fator previdenciário, que sofre alteração a cada ano, à medida que se eleva a expectativa de vida da população. Uma formula numérica que elimine o fator negativo, ou seja, a redução do benefício, a partir de certo patamar, parece ser defensável e suficiente para mitigar os efeitos perversos do fator."


Habitação

“O pacto pela vida começa com uma consistente política habitacional, que combata os guetos de pobreza com moradias sustentáveis, em bairros com infraestrutura.”
 

Mobilidade urbana

“O transporte público é um direito constitucional, assegurado a todos. Em contraste com o espírito da lei, há um esforço contínuo do governo federal de promover ações para reduzir o preço dos automóveis. O investimento é maciço, na forma de renúncia fiscal, e vem casado com ampla facilitação do acesso ao crédito”.

"Implantar um programa de forte apoio da União a estados e municípios para que construam, em quatro anos, um total de no mínimo 1 mil quilômetros de vias para veículos leves sobre trilhos (VLTs) e de corredores de ônibus integrados (BRT) em todas as cidades brasileiras com mais de 200 mil habitantes."
 

"Expandir as malhas metroviária e ferroviária de cada uma das regiões metropolitanas em 150 quilômetros ao longo de quatro anos."
 
 
Fonte: g1.globo.com/politica/eleicoes2014
 



0 comentários:

Postar um comentário