BLOG CARLOS RIBEIRO

BLOG CARLOS RIBEIRO

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Ratos da corrupção vão desfilar no carnaval da Mocidade

Carro terá ratos de rabo preso


Um grande queijo suíço disputado por ratos de rabo preso e moscas. Essa é a representação que a Mocidade Independente de Padre Miguel vai fazer do Brasil, no carro “O corrompido país de La Mancha”, o segundo do desfile de 2016, cujo enredo “O Brasil de La Mancha: Sou Miguel, Padre Miguel. Sou Cervantes, Sou Quixote Cavaleiro, Pixote Brasileiro” vai falar sobre as manchas sociais do país.


— O rato é o animal que representa a sujeira e também o que rouba, que surrupia — explica o carnavalesco Edson Pereira, que comanda o desfile da escola de samba em parceria de Alexandre Louzada.


O momento do país está afinado com a crítica feita pela Mocidade. Afinal, não é só queijo que vem da Suíça. O país europeu tem estado na boca do povo quando o assunto é político escondendo dinheiro em paraíso fiscal. Edson afirma, no entanto, que o desfile não é político, embora contenha uma forte crítica social.


Ratos e moscas no carro alegórico

— A gente fala dos problemas do Brasil de forma adaptada ao carnaval: com bom humor, mas sem perder a seriedade que a coisa pede — diz.


Além da corrupção, com ratos no queijo suíço, o desfile ainda lembrará a seca no Nordeste, a ditadura militar (com uma alegoria na forma de tanque), a escravidão e outros momentos e aspectos tristes da história do país. Tudo isso será explorado pelo cavaleiro errante Dom Quixote, o personagem mais famoso de Miguel de Cervantes. No carro com as moscas e ratos, ainda está Sancho Pança, também do livro espanhol, com 11 metros de altura.


— Cerca de 70 pessoas vão nesse carro. Os animais vão ter movimentos, como as asas das moscas e os focinhos dos ratos — diz Edson.


No último carnaval, sob comando de Paulo Barros, a escola ficou em sétimo lugar.


Fonte: Bruno Alfano/Jornal Extra




0 comentários:

Postar um comentário