BLOG CARLOS RIBEIRO

BLOG CARLOS RIBEIRO

sábado, 29 de outubro de 2016

Dia Nacional do Livro - 29 de Outubro...



Você sabe por que foi comemorado o dia Nacional do Livro no dia 29 de outubro?
Por que foi nesse dia, em 1810, que a Real Biblioteca Portuguesa foi transferida para o Brasil, quando então foi fundada a Biblioteca Nacional e esta data escolhida para o DIA NACIONAL DO LIVRO.


Comemore também!
 
Comemore o dia do livro: lendo; De presente apresentamos 40 sites para baixar livros em inglês; 30 para ler, 10 para ouvir. Texto retirado do blog Lendo Org

A partir de 1808, com a vinda da família real portuguesa e a fundação da Imprensa Régia, teve início o movimento editorial brasileiro. O primeiro livro publicado aqui foi o terceiro volume de Marília de Dirceu, em 1812, escrito por Tomás Antônio Gonzaga.


E a escolha do Dia Nacional do Livro remonta a este período, quando a Real Biblioteca, iniciada por D. João I no século XIV, foi trazida à colônia e oficialmente instalada no Rio de Janeiro, em 29 de outubro de 1810. Eram 60 mil peças, entre livros, manuscritos, mapas, estampas, moedas e medalhas.
Depois da Independência (1822), parte deste acervo retornou a Portugal e parte foi comprada pelo Brasil, dando origem à Fundação Biblioteca Nacional, assim denominada desde 1990. Com nove milhões de itens, é considerada pela Unesco a oitava maior biblioteca do mundo e também a maior da América Latina.
O Dia Nacional do Livro é comemorado nesta data desde 1966. A Lei 5.191, de 1980, instituiu a Semana Nacional do Livro, de 23 a 29 de outubro, a fim de reforçar a importância do livro e valorizar iniciativas de incentivo ao hábito da leitura.


O dia 29 de outubro foi escolhido como Dia Nacional do Livro em homenagem à funda-ção da Biblioteca Nacional, que ocorreu em 1810. Só a partir de 1808, quando D. João VI fundou a Imprensa Régia, o movimento editorial começou no Brasil.
O primeiro livro publicado aqui foi “Marília de Dirceu”, de Tomás Antônio Gonzaga, mas nessa época, a imprensa sofria a censura do Imperador. Só na década de 1930 houve um crescimento editorial, após a fundação da Companhia Editora Nacional pelo escritor Monteiro Lobato, em outubro de 1925.

A Origem do Livro
Os textos impressos mais antigos foram orações budistas feitas no Japão por volta do ano 770. Mas desde o século II, a China já sabia fabricar papel, tinta e imprimir usando mármore entalhado. Foi então, na China, que apareceu o primeiro livro, no ano de 868.
Na Idade Média, livros feitos à mão eram produzidos por monges que usavam tinta e bico de pena para copiar os textos religiosos em latim. Um pequeno livro levava meses para ficar pronto, e os monges trabalhavam em um local chamado “Scriptorium”.

Quem foi Gutenberg?
O ourives culto e curioso Johannes Gutenberg (1398-1468) nasceu em Mainz, na Alemanha e, é considerado o criador da imprensa em série.
Ele criou a prensa tipográfica, onde colocava letras que eram cunhadas em madeira e presas em fôrmas para compor uma página. Essa tecnologia sobreviveu até o século XIX com poucas mudanças.
Por volta de 1456, foi publicado o primeiro livro impresso em série: a Bíblia de 42 linhas. Conhecida como “Bíblia de Gutenberg”, a obra tinha 642 páginas e 200 exemplares, dos quais existem apenas 48 espalhados pelo mundo hoje em dia. A invenção de Gutenberg marcou a passagem do Mundo Medieval para a Idade Moderna: era de divulgação do conhecimento.

Três publicações da Antologia 'ESSÊNCIAS" - Projeto do Poeta Carlos Ribeiro

A Importância do Livro
O livro é um meio de comunicação importante no processo de transformação do indivíduo. Ao ler um livro, evoluímos e desenvolvemos a nossa capacidade crítica e criativa. É importante para as crianças ter o hábito da leitura porque com ela, se aprimora a linguagem e a comunicação com o mundo. O livro atrai a criança pela curiosidade, pelo formato, pelo manuseio e pela emoção das histórias. Comparado a outros meios de comunicação, com o livro é possível escolher entre uma história do passado, do presente ou da fantasia. Além disso, podemos ler o que quisermos, quando, onde e no ritmo que escolhermos.


sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Dia do Flamenguista - 28 de Outubro...


Dia do Flamenguista é comemorado anualmente em 28 de outubro, no Brasil.
torcida do Flamengo, time carioca de futebol, é uma das mais fortes e organizadas. A representação do Flamengo no Rio de Janeiro é tão presente que a torcida flamenguista foi tombada como um Bem Cultural da Capital Carioca, ganhando o prêmio "Torcida de Ouro" do Campeonato Brasileiro de 2007, entregue pela Confederação Brasileira de Futebol - CBF.

Origem do Dia do Flamenguista

Dia do Flamenguista é comemorado em 28 de Outubro por ser este o dia do padroeiro do time, São Judas Tadeus, conhecido por ser o "santo das causas impossíveis".
Todos os anos, o time faz uma missa na capela da São Judas Tadeus, na sede do Flamengo no Rio de Janeiro, com a presença de todos os jogadores, torcedores e dirigentes do time.

"Dia do Torcedor Flamenguista" foi instituido pelo Decreto de Lei nº 4679, de 15 de Outubro de 2007, pelo prefeito César Maia, com base na proposta do vereador Jorge Mauro.
A data já faz parte do calendário oficial da cidade do Rio de Janeiro.

De algum modo, por alguma razão que não cabe pesquisa (embora quase todos saibam), escolheram o dia 28 de outubro como Dia do Flamenguista. Eu discordo da escolha da data. Pelo menos pra mim, todo dia é dia de Flamengo e, naturalmente, pra quem vive, sente e carrega esse amor todo dia é, por consequência, dia do Flamenguista.
Mais do que isso! Se todo dia é dia do Flamengo, todo dia é dia do Flamenguista. Afinal, nós somos o Flamengo. Só que mesmo assim, resolvi vir aqui, trocar algumas palavras com vocês.

Hoje é o dia daqueles que entendem que o futebol é jogado em campo, mas que não perdem a confiança na vitória. É o dia de todos aqueles que tem a certeza da própria força e a noção da beleza e da grandeza que carregam. É dia de todos aqueles que sabem que não somos apenas diferentes, somos melhores. Sim, melhores sem medo, porque é difícil ser humilde sendo Flamengo.
Hoje é dia de agradecer e parabenizar aos nossos irmãos de pele, coração e alma rubro-negras. Agradecer pelas festas épicas que foram feitas e lembradas. Agradecer pelas lágrimas derramadas, pelos quilômetros percorridos, pelos gritos de incentivo e pelos gols marcados. É dia de agradecer alguns pontos e tantos títulos conquistados.

Sim, nós conquistamos vários títulos. Sem jogadores, sem a confiança do resto do mundo, quase sem nada. Eram nós, nossas vozes e nossas rezas ali ao lado do gramado. Em campo, apenas o manto… Ah, e só nós sabemos quantos gols fizemos, quantos títulos levamos e quantas fomos o craque da partida. Quantas vezes deixamos que o imponderável fosse considerado o responsável por um resultado quando já sabíamos toda a verdade.
O apoio incondicional, a raça, o amor e a paixão são nossa marca, são nossa vida, são o nosso Flamengo. Mesmo com nossas festas e nossas glórias, nosso amor também sempre se fez presente. Nunca desistimos, nunca abandonamos o Flamengo. Mesmo em nossos momentos de maior mudez, seguimos carregando e seguindo nossas cores a todo lado.

Hoje o dia é seu, hoje o dia é nosso, hoje o dia é dessa Nação! Hoje, como em todos os outros dias, é dia de Flamengo! Vamos sorrir aquele sorriso levemente prepotente que temos… Amor correspondido é bom demais, vocês sabem! Vamos vestir nossos Mantos e pintar o mundo de vermelho e preto.
Flamengo hoje, Flamengo amanhã, Flamengo SEMPRE.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

RECORDAÇÃO DA ENTREVISTA ANO PASSADO COM O EX-DIRETOR MUSICAL  JOSÉ MAURO MENDES DA MOCIDADE INDEPENDENTE  PADRE MIGUEL...
Clique na imagem para ampliar


UM POUCO DA HISTÓRIA:

Em 1983, comecei a frequentar a quadra da escola acompanhando a escolha de samba.

Clique na imagem para ampliar


Logo assim que passou o carnaval de 1985, (Ziriguidum 2001), que aliás a escola se sagrou campeã, resolvi  me tornar membro da agremiação e passar a ser um desfilante.  Mas como tenho sangue de músico, pensei logo em desfilar na bateria; Só que eu nunca tinha tocado nenhum instrumento de uma bateria de escola de samba, só estava aprendendo a tocar cavaquinho, desde 1984.

Então procurei o diretor de bateria, na época era o saudoso mestre Bira “in memorian”, e perguntei se eu poderia começar a ensaiar para o próximo carnaval... Ele me perguntou qual instrumento eu sabia tocar... na hora o que me veio na mente foi caixa, então disse à ele que sabia tocar caixa.... Ele me pediu uma referência, eu disse à ele que sou filho do maestro Affonso... todos conhecem o meu pai, pois é um músico muito querido no bairro... na mesma hora o mestre Bira me aceitou e sendo assim estou na escola até os dias de hoje.

Clique na imagem para ampliar


Desfilei na bateria de 1986 até 1990.

Nesse período fui convidado a participar do grupo Independente, era um grupo de pagode liderado por mestre Coé “in memorian”, na época auxiliar do mestre Bira.

Fiz diversos shows com a escola tocando cavaquinho, me tornei 2º cavaco da escola, mas desfilava na bateria.


1  1 -  Nome Completo: 
      José Mauro da Silva Mendes.
    2 Data e local de Nascimento:
          Rio de Janeiro, 17/02/1964.

  3 -  Conte um pouco da sua história, como você iniciou  no meio musical?
      Influência de parentes por parte de pai, pois temos vários primos músicos, e sendo assim, a música sempre esteve ativa em nossas comemorações e encontros. Seresta, chorinho e samba sempre predominaram.  
      Em 1978 fui morar perto da quadra da Mocidade independente de Padre Miguel... Daí a proximidade como o carnaval...   
      Nessa época eu estava aprendendo a tocar violão com meu pai “maestro Affonso Mendes”, mas um dia passei pela estação de Padre Miguel, no bar do Simplício, onde era o ponto de encontro dos compositores da Mocidade, e assisti uma cena que até hoje trago na memória: o compositor Dico da viola, com seu banjo, tocando suas músicas e ao seu redor várias pessoas, parentes e amigos, cantavam em alto som... Aquela junção das vozes com os acordes do banjo me despertaram... no dia seguinte falei com meu pai que queria tocar cavaquinho.. Foi assim que tudo começou. 
                                                    
  4 -Qual a sua função e do Departamento Musical na       Mocidade?

Clique na imagem para ampliar

  Meu cargo é: diretor musical.
         Minha função é organizar o canto maior da escola, que começa no carro de som onde teremos o intérprete principal e seus cantores de apoio e músicos. 
Clique na imagem para ampliar


         Escolher e ensaiar os músicos e cantores, que de acordo com as minhas  instruções  conduzirão o canto da escola de uma maneira correta, facilitando o canto, a dança, e o ritmo de todos os outros seguimentos e alas.
Clique na imagem para ampliar

         A função do departamento musical é ajustar a harmonia, passando para os componentes  todos os detalhes;  as notas melódicas em consonância com a harmonia e a bateria, etc... Fazer esse canto chegar aos componentes das alas de forma mais fácil de se entender e ajudar a escola à chegar à perfeição no que diz respeito aos quesitos samba enredo, harmonia, evolução e bateria.  
Clique na imagem para ampliar

      
    5- Quando e como está sendo sua tragetória na Mocidade?
          A minha trajetória na escola é longa; começou em 1985, quando resolvi me tornar um membro da escola realmente; já que frequentava a quadra acompanhando as  disputas de sambas enredos desde 1983.
           Hoje vejo, depois da turbulência que passamos no início da era 2.000, o melhor momento dessa minha trajetória e da escola também. Agora, com essa nova diretoria, comandada por nosso patrono Rogério Andrade, vejo de novo aquela Mocidade que nos encantou por toda a éra “Castor de Andrade”.



    6- Existe algum desafio que você já passou na Mocidade?
        O desafio maior, é conseguir se manter no cargo ou função por tantos anos como eu consegui, pois fui 1º cavaco da escola desde 1990 até 2009. E quero ressaltar que desde antes da minha chegada até 1996, que foi o último campeonato da escola, a harmonia do carro de som era composta por apenas 1 cavaco e 1 violão... hoje colocam-se 2 ou 3 cavacos e mais 2 violões, etc...
         Em 2005 me tornei diretor musical da escola, mas em meio aquela crise toda, que todos sabem o que houve, eu tive que me afastar em 2009, mas retornei em 2014, convidado por essa nova diretoria que tinha como prioridade resgatar quem de direito deveria estar de mãos dadas com a família Mocidade.  Me sinto muito honrado, e muito feliz de já ter ajudado no carnaval 2015 a escola resgatar nota máxima em harmonia, parabéns ao mestre Rômulo Ramos, que eu já conhecia, mas ainda não havia trabalhado com ele... indivíduo competente.
Clique na imagem para ampliar


    7- Existe uma carga horária obrigatória pra função de Diretor Musical?
         A carga horária é sempre pré estabelecida de acordo com as necessidades (shows, ensaios, etc...), e com bom senso procuramos adequar aos compromissos de cada componente.
   
    8- José Mauro, existe algum projeto que você incentive ou ensine a prática dos instrumentos à comunidade?
        Eu ensino e incentivo a prática de instrumentos musicais na COMPANHIA MUSICAL DE BANGU, www.compahiamusicaldebangu.com , um projeto particular, meu, e atendo a todos os interessados, independente de seu nível social.
    Este projeto tem o objetivo de incentivar   a cultura musical da zona oeste, contribuindo para valorizar a formação de público e novos talentos, levando aos amantes da música o conhecimento mais profundo. 
    Desejo formar músicos profissionais e amadores, transmitindo com clareza e exatidão os conhecimentos musicais, para que os mesmos alcancem a satisfação no aprendizado.


Clique na imagem para ampliar



 9Como surgiu o nome de José Mauro para a Direção Musical da Mocidade?
     Como relatei na pergunta nº 5, o meu nome é antigo na escola; o meu nome surgiu na primeira vez como uma oportunidade à quem já era prata da casa. E nessa segunda nessa segunda vez, acho que foi mais um resgate.

  10- Você tem alguma atividade ou profissão fora da Mocidade?
      Atualmente sou diretor do meu projeto Companhia musical de Bangu, que aliás está muito ativo e vivo exclusivamente da música; embora já tenha atuado em outras áreas.

     11- O que você tem a dizer para a pessoa pretende  seguir a     profissão de Diretor Musical?
            O fator mais importante é que a pessoa precisa estudar música, pois já assisti alguns casos em que o diretor musical não era, ou é, músico; e não tem como a pessoa administrar um ramo sem conhecê-lo profundamente.
            
      12- Se você não fosse Diretor Musical, o que    gostaria de ser?
            Não sei bem... talvez bancário... estudei contabilidade em meu 2º grau e sonhava um dia ter meu escritório ou talvez trabalhar em um banco financeiro, mas a música me fez mudar os planos.

       13- José Mauro, qual sua ambição para o futuro?
       Ver meu projeto, Companhia musical de Bangu, ficar  cada vez mais forte, e colaborar muito para cultura musical da zona oeste.



Clique na imagem para ampliar


    14- Qual a sua expectativa para o carnaval da 
           Mocidade/2016?

   A expectativa é muito boa, pois observando o projeto que vem da comissão de carnaval, fiquei realmente com a esperança de poder ver a escola de novo brilhar no desfile das campeães.
       15- O que você diria para todos os segmentos da escola e comunidade  para o carnaval 2016?
               Acreditem, frequentem, participem, nós estamos próximos de retornar ao nosso lugar verdadeiro, que é estar entre as melhores do carnaval do Rio de Janeiro.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

BLOG DIVULGANDO ARTE E CULTURA.....





Confira a maior, e a
mais seleta coleção de  arquivos
artísticos (pps) da Web em,
Se você quiser conhecer os Museus do mundo, procura em


PREZADO [A] ARTISTA!

INICIAMOS A FORMAÇÃO DO GRUPO DO XXXVI INTERCAMBIO CULTURAL – UCAI 2017.

CONTAMOS COM A SUA PARTCIPAÇÃO NO GRUPO QUE IRÁ EXPOR, NO PROXIMO ANO, NA GALERIA LA PIGNA NO ESTADO DO VATICANO.

OS ARTISTAS QUE AINDA NÃO PARTICIPARAM DO INTERCAMBIO PODERÃO CONSULTAR O NOSSO SITE COM 7 PÁGINAS:
Home
Programação
Ficha de Inscrição
Fotos
Mídias
Vídeos
Contato

ASSIM VOCÊ PODERA TER UMA IDEIA DO NOSSO EVENTO.

MUITO GRATO, AGUARDAMOS A SUA RESPOSTA.

GIOVANNI NICOTRA
Membro Dell´UCAI per il Brasile e Portogallo
giovanni.nicotra2014@gmail.com

Contato Brasil:
(005521) 995775823 / (005521) 25234602

Contato Italia:
+3469713043

Contato Portugal:
961048051


  
Edições  “ITALIAMIGA”          
2ª Exposição  de  Arte  e  Literatura  2016,
que  se  realizará  em  DEZEMBRO /  2016.

Regulamento

·                 FINALIDADE: Realizar  uma  Exposição de  Arte  e  Poesia,  valorizando  através das  Artes  Plásticas  e da Literatura  a  amizade  nascida  entre  Brasil  e   Itália   com  a apresentação  de  um  Livro com as Obras apresentadas de  todos os Artistas Plásticos e Poetas do  Rio de Janeiro e demais  Estados.


·     ARTISTAS PLÁSTICOS, poderão participar nas seguintes modalidades: Pintura acadêmica, contemporânea ou  decorativa, Aquarela, Nanquim, Pastel, Desenho e Escultura, com uma ou duas Obras sobre o Brasil” e sobre a Itália com suas histórias e suas riquezas – TEMA LIVRE.
As obras deverão estar assinadas, com arame para serem penduradas, ter a medida máxima de 1,00m x 1,00m e conter título, medida e técnica utilizada.   Esculturas, com altura máxima de 0,70 cm.

·     POETAS, ESCRITOREScom suas poesias, Crônicas ou qualquer outro gênero literário, sobre a amizade surgida  entre a Itália e o Brasil e também TEMA LIVRE.

·       INSCRIÇÕES: Estarão abertas até     dia  30  de  outubro  de 2016    para a elaboração do Livro e deverão ser feitas através do email verafigueredo@uol.com.br ou pelo correio, para o Atelier de                        Vera  Figueredo, à Rua Visconde de Abaeté, nº 105 casa - Vila Isabel, RJ - CEP: 20.551-080 ou                                   facebook Vera Figueredo.

Os ARTISTAS PLÁSTICOS, deverão enviar sua foto e um breve release de 05 (cinco) linhas, e as fotos de 02 (duas) ou 03 (três) Obras, em alta resolução no tamanho 10 x 15. Em virtude da reprodução colorida, o custo será de R$ 800,00 (oitocentos reais) por página do Livro,   2 Páginas ... ficam  em   R$  1.200,00... já incluído nesse valor as despesas necessárias para a organização ao Evento.

Os ESCRITORES deverão enviar sua foto e um breve release de 05 (cinco) linhas, com uma ou duas poesias em papel A4, digitado em letra Times New Roman 12, que serão também expostas em fundo especial e o custo será de R$ 300,00 (trezentos reais) por página,  duas páginas R$  500,00.   Estão incluídos nesse valor as despesas  para a organização ao evento.

·       TAXA de INSCRIÇÃO deverá ser feita na Caixa Econômica Federal, Agência 0233 / Conta Corrente 01 0248998–3, de acordo com o numero de páginas que o Artista / Escritor quiser participar.  Para tanto, entrar em contato, para acertar a confecção do Livro e até a forma de pagamento.  Pode ser parcelado  em  até  4  vezes.
Cada Artista receberá 02 (dois) exemplares do Livro.

·     ENTREGA DAS OBRAS: Nos  dias   30/11     e     01 e 02   de  DEZEMBRO       de 10h às 16h,    no  MONUMENTO   AOS  PRACINHAS,    no    Aterro   do    Flamengo,   RJ.

·     Os Artistas de outros Estados podem enviar suas Obras, por Sedex ou Transportadora para o Atelier de Vera Figueredo à Rua Visconde de Abaeté, nº 105 casa - Vila Isabel, RJ - CEP: 20.551-080   E os artistas  que  quiserem.....  também  podem  entregar  suas obras   a partir  de 28  de NOVEMBRO ,   no   Atelier    de  Vera Figueredo,     para facilitar o   transporte e  montagem  para   a   Exposição.
·       EXPOSIÇÃO: será realizada no Monumento aos Pracinhas, no Aterro do Flamengo, no período  de 03   a 18  de DEZEMBRO   ,  na cidade do Rio de Janeiro.

·     SOLENIDADE de PREMIAÇÃO  e  LANÇAMENTO DO  LIVRO,  será no   dia  06  de  DEZEMBRO, 3 ª FEIRA    às  16horas,      no Auditório do Monumento, seguido de coquetel de confraternização.

·     DISPOSIÇÕES GERAIS: A retirada das Obras é de inteira responsabilidade do artista; e deverá ser feita dia   19 e 20 de DEZEMBRO, de 10h às 16h.  Artistas de outros Estados, as Obras serão enviadas a cobrar por sedex  ou  similar.   O pagamento de envio é por conta do Artista,  ou  .... podem retirar sua  Obra ,  no Atelier  de  VERA  FIGUEREDO.

Maiores esclarecimentos:
(21) 2576-0100   /   (21)  99966-3547  ou     verafigueredo@uol.com.br  /  FACEBOOK Vera Figueredo

Vera Figueredo 
 Curadora de Artes



BLOG CARLOS RIBEIRO