BLOG CARLOS RIBEIRO

BLOG CARLOS RIBEIRO

quinta-feira, 29 de junho de 2017

29 de junho - Dia de São Pedro...






São Pedro Inicialmente um pobre pescador da Galiléia nascido em Betsaida, às margens do rio Jordão, junto ao lago de Genesaré, que se tornou discípulo de Jesus, conhecido como o Príncipe dos Apóstolos, e tido como fundador da Igreja Cristã em Roma e considerado pela Igreja Católica como seu primeiro Papa (42-67). Ignora-se a precisa data de seu nascimento e as principais fontes de informação sobre sua vida são os quatro Evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas e João), onde aparece com destaque em todas as narrativas evangélicas, os Atos dos Apóstolos, as epístolas de Paulo e as duas epístolas do próprio apóstolo. Filho de Jonas, da tribo de Neftali, e irmão do apóstolo André, seu nome original era Simão e na época de seu encontro com Cristo morava em Cafarnaum, com a família da mulher (Lc 4,38-39). Pescador, tal como os apóstolos Tiago e João, trabalhava com o irmão e o pai e foi apresentado a Jesus, em Betânia, por seu irmão que já era discípulo de São João Batista e lá tinha ido conhecer o Cristo, por indicação de São João. No primeiro encontro Jesus o chamou de Cefas, que significava pedra, em aramaico, determinando, assim, ser ele o apóstolo escolhido para liderar os primeiros propagadores da fé cristã pelo mundo. Jesus, além de muda-lhe o nome, o escolheu como chefe da cristandade aqui na terra: "E eu te digo: Tu és pedra e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares sobre a terra, será ligado também nos céus" (Mt. 16: 18-19). Convertido, despontou como líder dos doze apóstolos, foi o primeiro a perceber em Jesus o filho de Deus. Junto com seu irmão e os irmãos Tiago e João Evangelista, fez parte do círculo íntimo de Jesus entre os doze, participando dos mais importante milagres do Mestre sobre a terra. Teve, também, seus momentos controvertidos, como quando usou a espada para defender Jesus e na passagem da tripla negação, e de consagração, pois foi a ele que Cristo apareceu pela primeira vez depois de ressuscitar. Após a Ascensão, presidiu a assembléia dos apóstolos que escolheu Matias para substituir Judas Iscariotes, fez seu primeiro sermão no dia de Pentecostes e peregrinou por várias cidades. Fundou as linhas apostólicas de Antioquia e Síria (as mais antigas sucessões do Cristianismo, precedendo as de Roma em vários anos) que sobrevivem em várias ortodoxias Sírias. Encontrou-se com São Paulo, em Jerusalém, e apoiou a iniciativa deste, Paulo de Tarso, de incluir os não judeus na fé cristã, sem obrigá-los a participarem dos rituais de iniciação judaica. Após esse encontro, foi preso por ordem do rei Agripa I, encaminhado à Roma durante o reinado de Nero, onde passou a viver. Ali fundou e presidiu à comunidade cristã, base da Igreja Católica Romana, e, por isso, segundo a tradição, foi executado por ordem de Nero. Conta-se, também, que pediu aos carrascos para ser crucificado de cabeça para baixo, por se julgar indigno de morrer na mesma posição de Cristo Salvador. Seu túmulo se encontra sob a catedral de S. Pedro, no Vaticano, e é autenticado por muitos historiadores. É festejado no dia 29 de junho, um dia de importantes manifestações folclóricas, principalmente no Nordeste brasileiro. Curiosidade: No dia de São Pedro, todos os que receberam seu nome devem acender fogueiras na porta de suas casas. Além disso, se alguém amarrar uma fita no braço de alguém chamado Pedro, ele tem a obrigação de dar um presente ou pagar uma bebida àquele que o amarrou, em homenagem ao santo. 


Dia do Pescador






Apesar de o Brasil ser um imenso país com um extenso litoral, a atividade pesqueira artesanal e, conseqüentemente, os pescadores, foram marginalizados na economia brasileira, pois deixaram de receber estímulos para aumentar sua produção, ao ser extinta a Superintendência de Desenvolvimento Pesqueiro (Sudepe) e ao ser revogado o decreto lei no 1.217, de 9/5/1972, que dispunha sobre incentivos à pesca.Atualmente, os pecadores estão sendo expulsos de áreas tradicionalmente destinadas à pesca para cederem espaço aos luxuosos loteamentos instalados à beira-mar.Conforme o IV Plano Nacional de Desenvolvimento da Pesca, são vários os fatores que impedem a modernização da pesca artesanal, tais como: falta de capacitação do pescador, lenta transferência de tecnologia, dificuldades de acesso ao mercado, falta de infra-estrutura para conservação do pescado (o que obriga o pescador a sujeitar-se ao intermediário), falta de linhas de crédito e falta de uma política eficaz de proteção ao local de trabalho do pescador artesanal.Esses problemas são os responsáveis diretos pelo baixo nível de desenvolvimento da pesca artesanal em todo o litoral do Brasil. O pescador tem acesso ao objeto de seu trabalho, o mar, mas nem sempre possui os meios para exercer sua profissão com dignidade. Apesar de o nível de produção ser qualitativamente bom, a pesca artesanal deixa muito a desejar no aspecto quantitativo, em razão da falta de recursos materiais, fato que contribui para que o pescador continue em total pobreza.As comunidades de pescadores estão desaparecendo, vitimadas pelo processo do chamado "avanço tecnológico". Mesmo a tradicional jangada, símbolo do pescador, está sendo esquecida.A vida do pescador não é fácil. Ele sai de madrugada, deixa sua família em terra firme e vai para o mar para cumprir seu dever. Como não há segurança em seus pequenos barcos, os pescadores ficam à mercê das intempéries. Mas a paixão pelo mar supera qualquer trauma sofrido pelos destemidos pescadores.A atividade da pesca é de fundamental importância, por ser responsável pelo fornecimento de alimentos e por proporcionar emprego em zonas costeiras e rurais. O êxito dessa atividade, contudo, depende da proteção dos ecossistemas marinhos em que é exercida, principalmente daqueles ameaçados pela exploração desenfreada dos recursos naturais e pela poluição. Essas conseqüências devem ser evitadas mediante ações coletivas efetuadas entre governo e população. 




 Oração aos Santos Apóstolos ~ Pedro e Paulo ~ Ó Santos Apóstolos Pedro e Paulo, nós te escolhemos hoje e para sempre como nossos especiais protetores e advogados: ao glorioso São Pedro, Príncipe dos Apóstolos, por ser a pedra sobre qual Deus edificou sua Igreja; ao bem-aventurado São Paulo, porque foi escolhido por Deus como pregador da verdade em todo o mundo; alcança-nos, te pedimos, uma viva fé, firme esperança e ardente caridade; um despojamento total de nós mesmos, desprezo pelo mundo, paciência nas adversidades, humildade nas coisas prósperas, atenção na oração, sincera intenção no trabalho, diligencia no cumprimento da das obrigações, constancia nos proppósitos, conformidade com vontade Deus e perseverança na divina graça ate a morte, a fim de que por tua intercessão e teus gloriosos meritos, superadas as tentações do mundo, do demonio e da carne, sejamos dignos de comparecer diante do supremo e eterno Pastor de almas, Jesus Cristo, para gozar e amar eternamente a ele que, com o Pai e o Espirito Santo, vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém. "Quanto a mim, estou a ponto de ser imolado e o instante da minha libertação se aproxima. 7 Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé." (II Tim 4, 6-7)."Feliz o homem que não procede conforme o conselho dos ímpios, não trilha o caminho dos pecadores, nem se assenta entre os escarnecedores. 2 Feliz aquele que se compraz no serviço do Senhor e medita sua lei dia e noite. 3 Ele é como a árvore plantada na margem das águas correntes: dá fruto na época própria, sua folhagem não murchará jamais. Tudo o que empreende, prospera. 4 Os ímpios não são assim! Mas são como a palha que o vento leva. 5 Por isso não suportarão o juízo, nem permanecerão os pecadores na assembléia dos justos. 6 Porque o Senhor vela pelo caminho dos justos, ao passo que o dos ímpios leva à perdição." ( Salmo 1, 1-6 ). 

0 comentários:

Postar um comentário