BLOG CARLOS RIBEIRO

BLOG CARLOS RIBEIRO

quinta-feira, 30 de abril de 2015

30 de Abril - Dia Nacional da Mulher...


 
 
Quem lembra que existe o dia nacional da mulher? Mais um dia para se parabenizar a elas. Guerreiras, delicadas, lutadoras, amadas. Mãe, amiga, namorada, chefe, parente, conhecida, vizinha, colega, esposa, amante, avó, filha... Todos esses papeis ela desenvolve com dom peculiar.
 
 
 
 
Por que se comemora essa data? Bem, foi no dia 30 de abril que nasceu a fundadora doConselho Nacional da Mulheres, Sra. Jerônima Mesquita. 

Como homenagem àquela extraordinária mulher, grande filantropa, foi escolhido o dia de seu nascimento para se comemorar o Dia Nacional da Mulher. 


Origem do Dia Nacional da Mulher

O Dia Nacional da Mulher foi instituído em 1980, como homenagem a Jerônima Mesquita, a enfermeira brasileira que liderou o movimento feminista no Brasil, e fundou o Movimento Bandeirante, que tinha como objetivo principal promover a inserção da mulher em todas as áreas da sociedade. Jerônima Mesquita esteve também envolvida na criação do Conselho Nacional das Mulheres.

A data do Dia Nacional da Mulher foi escolhida por ser o dia do nascimento de Jerônima Mesquita e a lei que instituiu a data no Brasil foi a 6.971/1980.


Hoje, devido a muitas reivindicações e lutas, a mulher é também dona de si, é eleitora, tem independência financeira, sexual e profissional. Emancipou-se, enfim, a mulher. A história de lutas e conquistas de tantas mulheres, muitas delas mártires de seu ideal, no decorrer de quase dois séculos, leva a humanidade a iniciar um novo milênio diante da constatação de que ela buscou e conquistou seu lugar. Mais que isso, assegurou seu direito à cidadania, legitimando seu papel enquanto agente transformador.
Dia 28 de Abril - Dia da Educação...

Clique na imagem para ampliar


Dia de emoções e gratidão, Ontem um aluno da E.M. Professor Moacyr Arthur Chiesse, no Concurso de Fábulas, cantou essa música para a minha amiga e professoara Eliana Neri...


Clique na imagem para ampliar




Ontem um aluno da E.M. Professor Moacyr Arthur Chiesse, no Concurso de Fábulas, cantou essa música para mim.


Estou encantada!!!!!


Gratidão ao universo por essa emoção tão maravilhosa que ficará para sempre em minhas memórias.
Livre estou!


Gratidão a todos!


A neve branca brilhando no chão
Sem pegadas pra seguir
Um reino de isolamento
E a rainha está aqui

A tempestade vem chegando e já não sei
Não consegui conter, bem que eu tentei
Não podem vir, não podem ver
Sempre a boa menina deve ser
Encobrir, não sentir
Nunca saberão
Mas agora vão

Livre estou, livre estou
Não posso mais segurar
Livre estou, livre estou
Eu saí pra não voltar

Não me importa o que vão falar
Tempestade vem
O frio não vai mesmo me incomodar

De longe tudo muda
Parece ser bem menor
Os medos que me controlavam
Não vejo ao meu redor

Frozen (Trilha Sonora)
Frozen (Trilha Sonora)
Letras
Discografia
Fotos
Popularidade
Últimas
no Celular
Traduza
Traduza Oh, let's get it together

Oh, vamos ficar juntos
Sugerir outra

Siga o Vagalume
Twitter Google+ YouTube Tumblr
Publicidade
Livre Estou

Frozen (Trilha Sonora)
Compositor: Robert Lopez, Kristen Anderson-Lopez e Christophe Beck
Informações do Álbum Frozen - Uma Aventura Congelante
Frozen - Uma Aventura Congelante
Ouvir álbum completo
Frozen - Uma Aventura Congelante
Ano de lançamento:
2013

Gélido Coração
Quer Brincar Na Neve?
Por Uma Vez na Eternidade
Vejo Uma Porta Abrir
Livre Estou
Rena É Melhor do Que Gente
No Verão
Não Dá
Reparos
Let It Go (Demi Lovato)
Libre Soy

x
Ver discografia completa »
Play
A neve branca brilhando no chão
Sem pegadas pra seguir
Um reino de isolamento
E a rainha está aqui

A tempestade vem chegando e já não sei
Não consegui conter, bem que eu tentei
Não podem vir, não podem ver
Sempre a boa menina deve ser
Encobrir, não sentir
Nunca saberão
Mas agora vão

Livre estou, livre estou
Não posso mais segurar
Livre estou, livre estou
Eu saí pra não voltar

Não me importa o que vão falar
Tempestade vem
O frio não vai mesmo me incomodar

De longe tudo muda
Parece ser bem menor
Os medos que me controlavam
Não vejo ao meu redor

É hora de experimentar
Os meus limites vou testar
A liberdade veio enfim
Pra mim

Livre estou, livre estou
Com o céu e o vento andar
Livre estou, livre estou
Não vão me ver chorar

Aqui estou eu
E vou ficar
Tempestade vem

O meu poder envolve o ar e vai ao chão
Da minha alma flui fractais de gelo em profusão
Um pensamento se transforma em cristais
Não vou me arrepender do que ficou pra trás

Livre estou, livre estou
Com o sol vou me levantar
Livre estou, livre estou
É tempo de mudar

Aqui estou eu
Vendo a luz brilhar
Tempestade vem
O frio não vai mesmo me incomodar.



Estou encantada!!!!!
Gratidão ao universo por essa emoção tão maravilhosa que ficará para sempre em minhas memórias.
Livre estou!


quarta-feira, 29 de abril de 2015

CABO FRIO: Artesanato ajuda a melhorar a qualidade de vida dos idosos...



A Prefeitura de Cabo Frio oferece diversas atividades para os idosos visando proporcionar melhor qualidade de vida e cidadania, através do Centro Especializado da Melhor Idade (CEMI), coordenado pela Secretaria Municipal da Melhor Idade.




 
A secretaria atende em torno de 5 mil idosos em mais de 70 atividades oferecidas divididas entre saúde, lazer, cultura, esporte e educação.

 

Entre essas atividades, de segunda a sexta-feira na sede do CEMI é realizada a oficina de artesanato, que é mais um benefício para quem passou dos 60 anos. As técnicas ajudam a manter a mente mais ativa, e por este motivo que o artesanato é recomendado para quem já está na melhor idade. A arte estimula a criatividade e faz com que o idoso exponha suas ideias e aptidões.

 

A professora Fátima Nazaré diz que esse trabalho melhora a depressão e as assistidas gostam quando praticada em grupos, pois estimula a interação social, evitando que os mais velhos se sintam sozinhos ou entediados pela solidão.

 

– Nossos produtos mais recentes na oficina de artesanato foram coelhos de Páscoa em tecido. Todo mundo que participou da confecção interagiu – afirma a professora.

 

As aulas funcionam durante toda semana, nas modalidades de crochê, pintura, tecido e outras áreas do artesanato.

 

Dona Delmizia Silva, de 79 anos, morava na cidade do Rio de Janeiro e chegou a Cabo Frio querendo encontrar uma atividade. A aposentada participa do CEMI há sete anos e dentre tantas aulas que pratica, o artesanato é a que mais gosta.

 

- Para minha felicidade cheguei ao CEMI há sete anos. Aqui encontro irmãos, amizades incríveis, professores e funcionários maravilhosos, que nos dão muita atenção. Faço artesanato, hidroginástica e participo do coral.

 


A Secretaria da Melhor Idade fica à Av. Teixeira e Souza, 2.228, no Trevo de São Cristóvão. Os interessados em participar das atividades da secretaria devem ter acima de 60 anos, serem moradores de Cabo Frio e se cadastrarem no Centro Especializado da Melhor Idade, munidos de CPF, RG, comprovante de residência, fator RH e atestado de saúde.

Fonte:  Marianne Rodrigues /PMCF

DIA 29 DE ABRIL - Dia Internacional da Dança...





Dia Internacional da Dança, conhecido também como Dia Mundial da Dança, comemora-se no dia29 de abril e foi uma data instituída pela UNESCO.

Origem do Dia da Dança

Dia da Dança foi criado em 1982 pelo Comitê Internacional da Dança da UNESCO. A data escolhida para o Dia Internacional da Dança foi 29 de abril por ser a data de nascimento de Jean-Georges Noverre, um mestre do balé francês.
Noverre foi bailarino e professor de balé, e ficou conhecido por ter escrito uma das obras sobre a dança mais importantes da história, Lettres sur La Danse? (as Cartas Sobre a Dança).
Apenas por coincidência, a data está associada a uma personalidade brasileira de importância no balé. Marika Gidali, bailarina co-fundadora do Ballet Stagium em São Paulo, também nasceu no dia 29 de abril.

terça-feira, 28 de abril de 2015

No dia 28 de abril será comemorado o Dia Nacional da Caatinga...

Clique na imagem para ampliar


No Dia Nacional da Caatinga, 28 de abril, uma voz, quase que solitária, grita por medidas urgentes para a conservação da Caatinga, único bioma exclusivamente brasileiro.

 Reconhecendo a importância da caatinga e a necessidade de preservação ou até mesmo recuperação de áreas degradadas, pela ação humana principalmente, o Governo Federal criou, em 2003, o Dia Nacional da Caatinga. A data escolhida é uma homenagem ao pesquisador pernambucano João Vasconcelos Sobrinho, considerado pioneiro no estudo da Caatinga.
A caatinga é tida como único bioma exclusivamente brasileiro. Sua biodiversidade de espécies vegetais e animais são, na maioria, exclusivas dessa área de 740 mil Km², que ocupa 11% do Território Nacional. Essa extensão abrange oito estados da região Nordeste e o Norte de Minas Gerais.
As espécies vegetais passam boa parte do ano hibernando, ou adormecidas, a espera da chuva que geralmente ocorre entre os meses de outubro e março, período de grande mudança na paisagem, quando o cinza dá lugar ao verde.
Abaixo, fotografias do Ensaio fotográfico “Caatinga: Seca e Verde”, de Érica Daiane.





Caatinga: um Bioma a ser preservado
O potencial produtivo da caatinga tem gerado também graves problemas ambientais para esse ecossistema reconhecidamente frágil. A prática de uma agricultura ainda muito rudimentar tem prejudicado os solos, a vegetação e outros recursos naturais da caatinga. A caça predatória, a extração irresponsável de madeira, argila e minérios, associados as queimadas e o manejo incorreto de animais, contribuem com a aceleração do fenômeno da desertificação, que afeta mais de 10% de toda a área de caatinga no Brasil.
A instalação de grandes projetos tem provocado efeitos devastadores a partir do desmatamento de grandes extensões de caatinga. De acordo com a Embrapa, no Semiárido nordestino, existem quatro núcleos de desertificação preocupantes, distribuídos nos municípios de Cabrobó em Pernambuco, Gilbués no Piauí, Irauçuba no Ceará e Seridó no Rio Grande do Norte, totalizando uma área de 18.700 quilômetros quadrados de caatinga degradada.
O Ministério do Meio Ambiente prevê que nos próximos 60 anos 1.482 municípios nordestinos poderão sofrer os mesmos efeitos desses núcleos de desertificação. O assunto tem chamado a atenção do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas da ONU que já aponta uma probabilidade de que 16% das áreas de caatinga no Brasil se transforme num grande deserto no mesmo período.
Você sabe que…
- Milhares de famílias de pequenos agricultores nordestinos, sem condições de viver da terra, vão para os grandes centros urbanos a procura de trabalho. Sem qualificação profissional, geralmente terminam vivendo em favelas de cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Muitos acabam na criminalidade;
- A desertificação se caracteriza pela baixa fertilidade do solo, principalmente a partir da perda da cobertura vegetal;
- O governo Federal, através do Plano Nacional de Desertificação, prevê investimentos na ordem de 5,1 milhões para o combate à desertificação. É preciso, portanto, fiscalizar o uso destes recursos;
- As famílias contempladas com o projeto Recaatingamento serão capacitadas em gestão ambiental e manejo da caatinga, criando condições para que possam tirar seu sustento a partir dos recursos naturais da caatinga sem provocar qualquer tipo de degradação.


O dono da voz é o professor e pesquisador da Universidade Federal de Pernambuco, Marcelo Tabarelli, que há 15 anos vê a degradação desse bioma avançar, sem que haja uma atenção maior por parte dos órgãos públicos e da academia. 

“A Caatinga é o patinho feio dos ecossistemas brasileiros”, afirma Tabarelli, que também é consultor voluntário da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, instituição que apoia projetos de conservação no bioma.

A crítica de Tabarelli, considerado um dos maiores estudiosos do bioma, encontra respaldo nas estatísticas oficiais. Levantamentos indicam que já foram perdidos 43% da cobertura original da Caatinga, bioma que tem apenas 1,3% de seu território inserido dentro de unidades de conservação de proteção integral. 

Dados do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) apontam ainda que 40% da região nunca foi estudada.

Nas áreas já pesquisadas, o cenário para preservação da Caatinga é preocupante, pois os estudos de modelos climáticos existentes apontam uma redução drástica de precipitação em toda a região do semiárido brasileiro, que compreende a maior parte do Nordeste do país. 

“Sem chuva e com o avanço das obras de infraestrutura e da agricultura e pecuária de baixos investimentos, a Caatinga sofrerá um processo natural de desertificação”, alerta o professor. 

Essa pressão antrópica piora a seca em uma região que naturalmente possui baixas médias pluviométricas anuais: as áreas centrais da Caatinga podem receber menos 500 mm de chuva por ano, com precipitação concentrada em apenas três meses, conforme dados do ICMBio.

Nascido no Rio Grande do Sul, Tabarelli teve o seu primeiro contato com a chamada “Mata Branca” (Caatinga, em Tupi) há 15 anos, quando foi morar em Pernambuco e acompanha de perto a história de muitas dessas espécies. 

“A paixão foi imediata”, costuma dizer. Desde então, ele se dedica a acompanhar de perto a evolução do bioma, ao ponto de elaborar um projeto ecológico de longa duração no Parque Nacional de Catimbau, no município de Buíque, em Pernambuco. 

“A Caatinga mantém uma biodiversidade rica e é uma fonte econômica importante para os milhões de moradores da região do semiárido. Faltam apenas mais ações (e rápidas) para que este bioma não fique à deriva, à mercê da sorte”, ressalta Tabarelli.

Entre as ações, Tabarelli reforça a necessidade de se promover discussões sobre a Caatinga, disseminar as suas características para órgãos públicos, academia e sociedade, além de reforçar o estímulo à pesquisa sobre esse ecossistema. 

“A Caatinga é mal conhecida pela população brasileira. Ela ainda carrega a estigma de ser uma região pobre, sob todos os aspectos”, afirmou. 

Além disso, ele sugere a criação de mais unidades de conservação de proteção integral e uma avaliação do modelo de desenvolvimento econômico para a região, que ainda hoje tem na lenha sua principal matriz energética.

A Caatinga ocupa cerca de 10% do território brasileiro, o equivalente a aproximadamente 844,5 mil km² numa área que compreende os estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Sergipe, Alagoas, Bahia e norte de Minas Gerais. 

O ecossistema possui vegetação do tipo savana, com a presença de árvores baixas e arbustos e dos conhecidos cactáceos, típicos de locais áridos. 

É uma região que compreende uma fauna rica em aves (510 espécies), com dezenas de peixes (241) e também diversas espécies de mamíferos (178). 

Alguns exemplos de animais são o jacaré-do-papo-amarelo (Caiman latirostris), o lagarto teju (Tupinambis tequixim) e o simpático tatu-bola (Tolypeutes tricinctus), escolhido como mascote da Copa do Mundo da Fifa de 2014. Também viveu na Caatinga a já extinta ararinha-azul (Cyanopsitta spixii).


Aves da Caatinga:

Nos últimos anos, a Caatinga tem sido apontada como uma importante área de endemismo de aves sul-americanas. Das 510 que vivem no bioma, 23 são consideradas endêmicas, sendo que a maior parte delas figura no Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção.

Entre essas espécies em risco, um caso emblemático é o da arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari), ave redescoberta no final da década de 70 que faz seus ninhos em cavidades naturais de paredões e cânions. 

Para contribuir para a proteção do psictacídeo, pesquisadores da Fundação Biodiversitas realizaram um projeto sobre a reprodução da ave na Estação Biológica de Canudos, na Bahia, com o apoio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. 

O projeto acompanhou o desenvolvimento da espécie a partir do monitoramento de seus exemplares por meio de microchips, do tamanho de um grão de arroz, que são implantados na pele das aves.

O acompanhamento, realizado entre 2008 e 2012, resultou na identificação de 36 pontos nos quais a arara-azul-de-lear faz seus ninhos. 

Além de identificados, os animais também passaram por uma avaliação, a partir da qual os pesquisadores conseguiram verificar a saúde dos animais e entender melhor seus hábitos de reprodução para definir ações assertivas de conservação.

Apesar de ser um projeto com longo prazo de execução, a simples presença dos pesquisadores na Estação Biológica de Canudos já inibiu o tráfico de aves na região.

O compartilhamento das informações obtidas por meio dos microchips com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) está ajudando o órgão a mapear os principais locais onde as aves são capturadas.




Fonte: Maria Luiza Campos e http://www.recaatingamento.org.br/


O Dia Mundial do Sorriso assinala-se a 28 de Abril!!!



A data foi criada em 1963 por Harvey Ball, um artista de Worcester, Massachussets, que criou a imagem do smiley, reconhecida internacionalmente.
Imagem1

sorriso

Frases do Dia Mundial do Sorriso

  • Quem sorri vive mais
  • Sorrir é ser feliz
  • Para acabar com o stress basta sorrir
  • Sorrir é gratuito e dá milhões
  • Sorrir é florir por dentro e brilhar por fora
  • Não sorrir é envelhecer aos poucos

Benefícios de Sorrir 

  • Diminuir a ansiedade
  • Reduzir a pressão arterial
  • Reforçar o sistema imunológico
  • Tonificar os músculos do rosto
  • Relaxamento 
  • Alívio de dores
  • Aumento da concentração

Sugestões para o Dia Mundial do Sorriso

  • Sorrir a toda a gente
  • Sorrir mais vezes sozinho
  • Sorrir aos familiares 
  • Sorrir a desconhecidos
  • Rir
  • Ver uma comédia
  • Partilhar sorrisos nas redes sociais

COM ASTRAL RENOVADO, MOCIDADE APRESENTA EQUIPE PARA 2016...


FOTO:DIEGO MENDES



A Mocidade Independente de Padre Miguel apresentou na noite deste domingo, dia 26 de abril, a equipe de profissionais que tentará levar a Mocidade de volta ao topo do pódio. Durante a feijoada na quadra da agremiação, que recebeu bom público, os novos contratados receberam as boas vindas e, os profissionais que ficaram na escola, reafirmaram o compromisso diante da comunidade. O evento contou ainda com grande show do grupo Bom Gosto.



Clique na imagem para ampliar

O dia foi de comemoração em virtude da massacrante vitória da chapa da situação na eleição realizada no último dia 19. Eleito para quatro anos de mandato, Wandyr Trindade, o Vô Macumba, resumiu o sentimento que a agremiação vive atualmente.

Clique na imagem para ampliar


- Na minha visão os sócios tomaram a decisão mais acertada. Nós temos o compromisso de fazer a Mocidade campeã novamente. Isso está bem claro desde que assumimos em fevereiro do ano passado. Contamos com o apoio do Rogério de Andrade, que é incansável na busca desse ideal. Temos também o Rodrigo Pacheco, um cara com uma capacidade muito grande de administração. Vamos continuar arrumando a nossa casa. A Mocidade é muito grande e vai mostrar isso a cada ano – disse com conhecimento de causa, afinal de contas é um dos fundadores da Estrela Guia da Zona Oeste.


Clique na imagem para ampliar


Contratados para conduzirem o carnaval da Mocidade em 2016, o carnavalesco Alexandre Louzada e o diretor artístico Edson Pereira, foram ovacionados pelo público presente e, nas palavras de ambos, ficou claro o desejo de fazer a escola campeã novamente.


Clique na imagem para ampliar


- Na verdade eu não sinto como se estivesse sido apresentado. Aqui me sinto em casa. Na minha última passagem pela escola tive muitas dificuldades de colocar em prática o projeto e sempre contei com a compreensão da comunidade, com a ajuda de muita gente aqui. Hoje a Mocidade vive um novo momento e me alegra muito poder retribuir. Bati na porta da Mocidade em busca disso e, ao lado do Edson, vou me dedicar ao máximo – afirmou Louzada, campeão do carnaval carioca em cinco oportunidades.

Depois de ótimos trabalhos na ‘’vizinha’’ Unidos de Padre Miguel, Edson Pereira fará jornada dupla no próximo carnaval. Ele será o responsável pela parte artística do desfile e garante um ótimo entrosamento com Alexandre Louzada.

- Somos amigos de longa data e já está sendo uma experiência fantástica acompanhá-lo nesse processo. Já sou de casa(risos). Conheço bem a comunidade da Vila Vintém. O povo daqui é sambista e sempre comparece quando é requisitado. Cada um fará a sua parte para que a Mocidade saia vencedora no final.


Clique na imagem para ampliar



Permanecem na escola o diretor geral de harmonia Rômulo Ramos, os coreógrafos da comissão de frente, Jorge Teixeira e Saulo Finelon, o intérprete Bruno Ribas, o diretor de barracão Marcelo Plácido (com a companhia de Alan Duque na função), o administrador da quadra, Julio Afonso, o diretor de alegorias, Carlos Lemos, o diretor musical, José Mauro Mendes, o segundo casal de mestre-sala e porta-bandeira, Raphael e Marcela, assim como o primeiro casal, formado por Diogo Jesus e Lucinha Nobre. Um dos grandes nomes do carnaval carioca, Lucinha garantiu um trabalho ainda mais dedicado para a obtenção das notas máximas.


Clique na imagem para ampliar



- Tenho muito orgulho de defender essa escola, onde desfilei pela primeira vez em 1984. Gostaria de pedir desculpas para a comunidade. Nos dedicamos muito e o trabalho foi feito da maneira que deveria ser, mas infelizmente não tivemos o resultado esperado. Posso garantir que vamos lutar e ensaiar ainda mais – discursou Lucinha. Ela e Diogo serão coreografados por Bonifácio Junior, outro reforço independente.

O trabalho de chão feito pela comunidade, coordenado e dirigido pela harmonia de Rômulo Ramos foi lembrado no discurso do diretor. Ele reafirmou os preceitos que nortearam o trabalho em 2015 e serão mantidos na pauta de 2016.

- Somos apenas uma poeira cósmica que formará essa Estrela Guia! Não podemos esquecer a humildade e o respeito a cada um aqui dentro. Escola de samba não é nada sem a comunidade. E no nosso trabalho vocês serão sempre colocados em primeiro lugar. O caminho para o sucesso não tem como ser diferente.

Aniversariante do mês de abril, Tia Nilda, que permanece no comando da ala de baianas da Mocidade, foi homenageada e recebeu um buquê de flores. Outro membro genuíno da comunidade independente é George Louzada. Desfilante da Estrelinha da Mocidade desde sete anos de idade, ele foi bastante aplaudido.

- É muito emocionante voltar a comandar a ala. Saí da escola por divergências com a antiga direção e fui valorizado em outras agremiações. Hoje posso dizer que volto de cabeça erguida e com muita disposição para que a Mocidade tenha a melhor ala de passistas do carnaval carioca. Conto com a dedicação de cada um – completou.

Quem também foi apresentado oficialmente foi o mestre de bateria Dudu. Ele dividiu o comando com mestre Beréco(que permanece como diretor-auxiliar) e Andrezinho nos últimos quatro anos, mas em 2016 terá a responsabilidade de comandar a bateria mais famosa do carnaval carioca em suas mãos. Nascido e criado dentro da Mocidade, ele garante que está preparado.


- Gostaria de agradecer essa oportunidade que me foi dada. Na verdade, essa escolha representa a manutenção da nossa tradição. A bateria da Mocidade conquistou tudo o que conquistou pelas nossas características. Vamos mantê-las e trabalhar cada naipe em busca da perfeição. Terei a ajuda do mestre Jorjão, como presidente da bateria. É um cara que dispensa comentários e deu várias notas 10 para a escola. Vou contar também com a presença do mestre Dinho, da Unidos de Padre Miguel, e do mestre Beréco, que mostrou hombridade e que é muito homem – disse ele, que deverá iniciar os ensaios no dia 04 de junho.

Galeira de fotos da Feijoada:

FOTO: DIEGO MENDES - CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR























Fonte: portaldosamba